A Mutação de Sunahara

3° Episódio
Introdução

Foi muito bom chegar à Floresta Negra e abraçar Elessar! Mesmo que tenha passado apenas dois dias, eu senti falta. Talvez pela sua beleza e sensualidade.

Os Elfos da raça de Elessar são seres vindo do mar! São Elfos orgulhosos, mágicos potentes, graciosos, belos, e excelentes guerreiros, apesar de raramente usarem magia.
 Apenas alguns deles se aperfeiçoaram nas artes mágicas. Dominaram a magia desde cedo e conseguem alterar a sua aparência e tele transportar-se pelo pensamento do lugar em questão.

São de fato muito belos! Tanto que dificilmente podem ser distinguido o rosto do macho para o rosto da fêmea. Eles são vegetarianos, mas alguns gostam da carne do cervo. Quando caçam um cervo para degustação, fazem uma oração ao espirito do mesmo.

Eles sabem manobrar armas com grande destreza! Dentre elas preferem os  arcos e as  espadas.
Podem viver eternamente, Se não forem acometidos por uma doença que seus meios mágicos e seus conhecimentos não consigam curar, assim como, quando adquirem as enfermidades dos humanos.
Todos os Elfos, não só do Clã "Inglorian" que é o Clã a que pertence Elessar sofrem com os danos provocados na natureza.

Devido à devastação humana e a falta de credibilidade nos seres protetores da natureza. Os Elfos são hoje um reflexo da população que outrora foram!
Eles têm tanta tristeza por isso que é raro haver crias elfas.
Anualmente no Equinócio eles encantam à sua floresta para crescer e quase todos os locais são protegidos por encantamentos poderosos.

Capitulo I

Chegamos ao Palácio de Elessar ele e Dseyvar estavam a nossa espera aflitos. Lilaz havia contado a história e vieram imediatamente para ajudar.
Magno contou a eles o que aconteceu exatamente e nós duas contamos sobre termos procurado o Vampirão e sobre o mundo que precisávamos ir para desfazer o feitiço.

As Elfas estavam todas rodeando Magno com intensões de Harmonizar, porque ele ainda estava vestido como um Elfo. (quase nu) Siani uma jovem elfinha muito linda, pegou-o pela mão e foi levando para os aposentos. Elessar disse a Magno:

= Magno! Essa elfa é Hermafrodita! Estou avisando por conhecer os gostos humanos, mas não se preocupe, voce vai gostar. Ao terminar venha a mim, ainda temos que conversar.

Magno subiu a escadaria sendo levado pela elfinha que segurava na bunda dele e sumiram lá em cima enquanto voltávamos ao nosso assunto.

Em meio ao assunto "Tigre" Mah perguntou:

- O que ele vai fazer com ela? Aonde vão?

Elessar respondeu tranquilamente;

= Eles vão aos aposentos harmonizar.

- Harmonizar?? O que é isso??

Perguntou a ciganinha que conhece os costumes dos Elfos “por cima”.

Dseyvar que cresceu com humanos chamou-a para explicar, mas Mah não parava de olhar para onde os dois sumiram indo para os “tais aposentos”. Aquela mão da Elfinha na bunda do seu consorte não agradava a ela;

- Mah querida! Eles irão harmonizar. Siani irá fazer amor com Magno logo eles estarão aqui para seguirmos com a nossa pauta sobre o tigre.  - Disse Dseyvar.

- Vai o que?? Que safadeza é essa?? E assim na minha cara?? Mas não vai mesmo!

Mah berrou isso e subiu as escadas como furacão para atrapalhar o idílio de Magno e Siani. Elessar gritava para ela que se acalmasse; que eles logo viriam para terminar o que estavam falando, mas a Ciganinha nem ouviu.

Abria as portas uma por uma até que chegou ao local onde estavam...

A Elfinha estava nua, com seus belos seios grandes redondos e firmes apontando para o canto direito do quarto.
Mah entrou segurando a barra de suas saias até a cintura e pronta para a briga, mas guando olhou para o canto direito havia um belo tigre branco com olhos dourados faiscando de excitação pela elfinha.

Mah não sabia se agradecia por isso ou se ficava irada. E perguntou a elfinha.

- O que aconteceu?

Ela se encaminhou para até o Tigre, abaixou na frente dele e abraçou-o pelo pescoço dizendo tristonha e decepcionada:

- Não sei! Eu apenas “me liguei” ao Cigano e de repente esse belo espécime felino apareceu no lugar dele e fugiu de mim..

Sunahara rugiu alto e balançou a cabeça se afastando da bela Elfinha que foi atrás dele nua e emanando escadaria abaixo, deixando os dois elfos na sala de estar muito excitados.

Porém o Grande tigre saiu com um belo salto pela janela da sala e se embrenhou floresta adentro, deixando a elfinha triste sendo acalentada por Dseyvar que tinha as lãs em alvoroço como se tivesse ventando dentro da sala de estar. 
Elessar olhava na minha direção com aquele olhar pidão que tinha no dia que me salvou no rio. Ainda bem que eu não estava emanando. .

Mah colocou as mãos na cintura sem soltar suas saias e perguntou a Elessar:

- O que ela fez com meu Cigano?

Elessar respirou fundo olhando a elfinha que voltou para “os aposentos”... Sozinha... - e disse:

= Ela não fez nada Cigana! Ele apenas voltou a ser um tigre.

Mah irritada fuzilou Elessar com os olhos quando disse:

- NÃO ESTOU FALANDO DISSO SENHOR ELFO! Quero saber o que ela ligou nele?

Elessar jogou a cabeça para trás dando uma linda gargalhada e respondeu:

= Isso foi entre eles querida! Eles procuraram intimidade, não quiseram harmonizar diante de nós, então devemos respeitar.

- Harmo... nizar diante de nós?? Eu quebrava a cara deles! E isso, se não lhes cortasse o pescoço com minha espada.

Elessar falou bem sério e autoritário!

= Estamos aqui para falarmos de como faremos para quebrar o feitiço do cigano!

Nos sentamos todos em silêncio.

Elessar despiu-se das vestes de festa ficando apenas com as vestes intimas. (um lenço de seda que é passado entre as pernas e preso dos lados com argolas, formando um nó de cada lado) depois foi até a mesa pegou um cacho de uvas e sentou em sua confortável poltrona colocando um pé para cima, com o calcanhar junto ao sexo.
 Mah deu uma profunda olhada, depois olhou para mim. Que dei de ombros e disse baixinho:
- Ele está em sua morada querida!
 Dseyvar não fez a mesma coisa por estar na morada do Rei e ele não o mandou despir-se.
Mesmo falando baixinho senti os olhos de Elessar sobre mim como se tivesse ouvido: Em seguida ficamos em silêncio esperando Sunahara voltar enquanto Elessar degustava seu cacho de uva. Ele nos viu olhando para ele e nos disse.

- Sirvam–se!

Mas quem queria comer naquele momento?
Mah estava irritada com o acontecido!
Eu só tinha olhos para a cena linda daquele Elfo degustando uvas
Dseyvar entendia superficialmente o que Mah estava sentindo e era solidário a ela.
Nisso ouvimos o rugido de Sunahara!!
Era um aviso de perigo!

Capitulo II

Elessar olhou-nos preocupado.
Vestiu as partes de baixo das vestes pegou sua Espada lendária e longa me deu a mão e nos tele-portou para a direção do rugido. 
Chegamos ao local exato onde Sunahara estava encurralado por mercenários. Não sabíamos de que raça eles eram porque estavam de capacetes e vestiam armaduras “catafracta” cobertas de escamas feitas de aço e armados com dardos, estilingues com bolas explosivas, lanças e “pelta”, (um escudo leve que usavam para se proteger)

Os “peltastas mercenários"  usavam de subterfúgios nas suas batalhas: depois de atacar os oponentes com seus estilingues e dardos, eles retrocederiam para dar espaço aos que chegariam mais equipados. No nosso caso: com redes para prender nosso querido amigo.
Elessar saltou na frente de Sunahara e girou como um peão segurando sua espada diante do corpo, formando um escudo que  protegeu seu amigo dos dardos
.
 Mas alguns dardos acertaram Elessar que perdeu um pouco da força do tornado que fazia. Sunahara ao ver seu amigo ferido rugiu alto, saltou por cima de Elessar e correu para o meio da floresta, assim eles o seguiriam dando a Elessar a chance de se curar. E foi dito e feito! Os mercenários partiram para caçada ao tigre. Elessar correu para o Rio precisava se curar e voltar para ajudar Sunahara que  estava correndo como corisco para levar os mercenários o mais longe possível, mas em compensação, se ele fosse apanhado no cerco não ajudaria a ninguém.

 Tendo a certeza de que Elessar saberia se virar sozinho com os ferimentos, fui atrás do tigre...
De repente parei e fiquei estática com o coração batendo forte.... Ouvi o rugido mais forte e alto que já tinha ouvido de um tigre de qualquer raça.
 E uma luz tão reluzente como um farol muito forte de luz dourada. 

Comecei a chorar sem saber como diria a minha amiga Mah que seu consorte morreu como um tigre.
Ainda não tinha chegado perto, mas pude imaginar os mercenários todos de uma vez atirando os seus dardos, as bolas explosivas com estilingue no pobre Sunahara encurralado. 
Quando cheguei perto do local,  vi uma grande cratera que a explosão causou na floresta. Cheguei na beira da cratera e me joguei sentada no chão em razão do que estava diante dos meus olhos.
O tigre não estava morto! Ele tinha o dobro do seu tamanho, os olhos acesos como farol no mar,  e todos os Mercenários estavam caídos... Mortos!
Quando ele me viu partiu para onde eu estava com um salto felino que chegou a beira da cratera e me atacou, eu tentei gritar, mas a voz não saiu. 
Depois de me derrubar ele pôs a grande pata dianteira direita sobre meu ventre me cortando o ar. 
Eu poderia ter jogado ele longe, mas estava sem ação e afinal de contas ele era meu amigo.

O enorme tigre levantou a pata esquerda aflorou as garras e ia me matar quando um rufar de asas se fez presente.
Foi o grande vampiro que surgiu ali em sua forma monstruosa e grunhiu para ele. O tigre me soltou! E com um rugido muito alto atacou seu amigo Vampiro com um facho de luz deixando-o  sem forças e saltou para cima dele. 
Iria pegá-lo ainda se recuperando... Eu me desesperei...  Sei lá,  Magno poderia mata-lo e depois teria remorsos. Eu puxei o ar com a força que me restava, ainda sentia muita dor pelo peso dele sobre meu corpo e gritei:

- Magno Para!!!!!!!!

Como num passe de mágica o Tigre girou o corpo para direita caindo fora do corpo do vampiro ainda no chão, passando de raspão suas grandes garras no braço dele e caiu ao lado deitado como morto.

Me desesperei! E disse a mim mesmo.

- Olha o que eu fiz... Salvei o vampiro e matei o Magno, alguém deve ter disparado alguma arma nele. Me esgueirei entre as folhagens para chegar perto dele sem ser vista por quem atirou. O Vampiro conseguiu se recuperar um pouco e disse.

- O Raio dele tem o efeito do sol em mim...

E levantou para acudir o tigre. Eu falei baixinho:

- Cuidado tem alguém por aqui, atiraram nele.

Nisso Elessar apareceu do nosso lado espantado com tudo aquilo e disse:

= O que voce fez Last?

Eu respondi

- Não foi ele Elessar! Tudo aconteceu porque o tigre estava gigante e não conhecia ninguém, olha ali!

E apontei para o tigre, mas estava lá o Magno! Elessar foi até ele pegou-o nos braços e perguntou:

= De que tigre voce está falando Sigel

O vampiro se recuperou e voou pra longe! Eu contei a Elessar o que havia visto,   o que aconteceu comigo e com o Vampiro; Elessar deu um beijo de sucção no Magno trazendo-o de volta.

( Me desculpem a sinceridade... mas aquela cena me deixou excitada vendo um macho nu e o outro seminu se beijando... Embora não tenha sido bem um beijo mas foi bom... Ver)

Eu acho que emanei... Naquela hora, porque Elessar segurou Magno pelos cabelos e puxou a cabeça dele com força!
Sorte do cigano que ele despertou e pulou rapidinho deve ter sentido o volumão embaixo dele. Mas eu fingi que não vi e perguntei:

- Voce está bem Magno??

- Não sei! Parece que quebraram todos os meus ossos.

Respondeu Magno enquanto Elessar balançava a cabeça como a expulsar algo.
Tenho pra mim que as dores que Magno sentiu, foi devido ao tamanho absurdo tigre.
Ouvimos um sibilar estranho. Nos colocamos de prontidão. Eu tirei o short de malha que usava sobre a legging e dei ao Magno e ele vestiu rápido.
pensando nisso agora me lembro como ele ficou uma graça. Todo espremido dentro do short e sem conseguir esconder suas intimidades...
Mas estávamos preocupados com o que ouvimos.

Eram os mercenários equipados que chegaram jogando as redes sobre nós.

Magno imediatamente pegou as adagas das bainhas em meu coldre e começou a brada-las no ar antes que caíssem sobre nós, cortando as malhas de aço. Elessar fazia o mesmo, eu que fiquei apenas com meu punhal, esperava o ataque. Eram apenas quatro mercenários e esses não usavam Armaduras. Usavam uma prancha que passava entre nós com voos rasantes dificultando que o atacássemos. 

Pedi telepaticamente a Elessar que fossemos para cratera onde eu poderia usar meu poder sem ferir a floresta. 
 Elessar nos pegou pelo braço e nos levou para cratera. 
Os mercenários nos seguiram como eu previ.  
Mas ao chegarem sobre a cratera suas pranchas perderam a força e todos caíram aos nossos pés. Levantaram rápido e tentaram voltar às pranchas que não funcionaram.

 Acho que o poder do tigre causou uma interferência.
Os mercenários investiram contra nós. Vieram dois pro meu lado por eu ser uma fêmea e ter apenas um punhal Mas eu sou um soldado assassino e geralmente tenho duas intenções quando lido com inimigos. 
Eu trago um belo sorriso no rosto enquanto minha mente planeja como elimina-los. Eles sorriram zombando de mim, tocando as palmas das mãos com desdém

Eu ataquei bem rápido com meu punhal na direção do peito de um deles, fazendo-o acreditar que este era meu alvo, porém, mudei rápido e investi contra a perna do mesmo, em uma poderosa perfuração com meu punhal. 
Enquanto ele abaixou com a dor eu chutei a cara dele por baixo do queixo pondo-o a nocaute, mas o outro já estava sobre mim. 
Me pegou pelas lãs tentando minar minhas forças, entretanto, ele não sabia que as lãs de um elfo é uma arma.
Ele enrolou minhas lãs no pulso e segurou firme. 
Sem que ele esperasse, eu dei um salto mortal para trás, passando por cima dele e levando seu braço junto, que com meu peso quebrou fazendo som dos ossos em detrito. 
Com ele preso nesse golpe segurei nos ombros dele e quebrei sua coluna com uma joelhada. Enquanto ele gritava de dor eu olhei para meus amigos.

Magno lutava com um mercenário que usava um “Vagneldo”. (Uma lança que tem a ponta mais larga e curva)

O “Vagneldo” é perigoso se seu oponente for rápido e ágil, porém nosso Cigano minava a agilidade do inimigo bailando minhas adagas no ar, como os passos de uma dançarina·.
  Ele se mantinha em constante movimento para manter sempre uma vantagem sobre o inimigo. Porque a lança não permitia que o Cigano se aproximasse. 
 Com isso, Magno ganhava vantagem porque o oponente nunca sabia quando ele iria atacar,

Magno é um ótimo Espadachim Esgrimista e ambidestro!
Um bom duelo de esgrima exige muito preparo físico, coreografia bem ensaiada e paciência, para não receber golpes ao cantar uma sequência errada.
 Magno estava sendo superior ao rival, porque ele não se intimidava pelo porte físico avantajado do mesmo.
E como na esgrima nunca falta acrobacias, frases intrépidas e golpes astutos.
Magno tocava no “Vagneldo” com as adagas e dizia.

- Como é? Não vai atacar? Não se prenda a minha dança, sou Cigano e minha vida é dançar e cantar.

O mercenário se aborreceu e com as firulas do Cigano e atacou.
Com um grito partiu para cima dele para cravar a lança no abdome daquele Cigano abusado!

Mas O Cigano abusado Cruzou as adagas para baixo sobre a lança cortando o ataque do mercenário. Em seguida num giro por baixo dos braços suspendeu a lança entre as adagas e chutou o mercenário para longe dele.
Mas ele estava irado e atacou novamente o Cigano...
Dessa vez sem pensar muito. O que foi o erro dele.
 Ao vir com fúria segurando a lança de frente com as duas mãos...

Magno desviou o golpe com uma adaga arrancando faíscas da lança, no mesmo movimento, girou o corpo para o lado contrário e com a outra adaga cortou o pescoço do mercenário fazendo a cabeça rolar no chão e o corpo cair estrondando aos seus pés.
Ao acabarmos de lutar olhamos apavorados para Elessar e o oponente que ficou com ele, porque estava muito silêncio...

Elessar estava olhando-nos lutar com um sorriso nos lábios e um pé em cima do mercenário jaz.
Magno e eu nos olhamos e balançamos a cabeça.

Elessar me perguntou:

= E voce Sigel? Vai deixa-los vivo?

Eu respondi com a autoridade do que eu era naquele momento.

- Em outra ocasião ou se fosse na excitação da luta eu os mataria, mas agora não Elessar.
O destino deles será pior do que a morte. Vamos jogá-los fora de Uhat.

Elessar me aplaudiu e fomos jogar os mercenários fora de Uhat.

Capitulo Final

Quando voltávamos Elessar falou com Magno:


= Eu sabia que voce era um espadachim desde que viestes morar em Uhat.
 Mas como nunca o vi lutar, não sabia sobre sua “ambidestria” parabéns meu amigo.

Magno respondeu um tanto choroso, mas orgulhoso do seu feito.

- Devo isso ao meu Pai. O Cigano Dedylson que significa "Filho do Nobre"!
Quando eu era menino meu pai me pediu que eu pegasse seu brasão na caixa; eu peguei e entreguei a ele. Só que por descuido, entreguei com a mão esquerda. Meu pai muito rigoroso me disse:

- Magno! Porque razão voce me entrega um objeto com a mão esquerda? 
 Seja o que for que ofereçamos ou entregamos a alguém devemos fazê-lo com a destra. A mão canhota é amaldiçoada!
Ponha o brasão na caixa novamente, pegue-o com a destra e me entregue.

Eu fiz o que ele mandou! Mas quando sai de perto dele estava revoltado com a sua ignorância. Eu era criança e achei absurdo meu pai se desfazer dá minha mão, sendo que as duas fazem parte do meu corpo. Como eu poderia ter uma parte amaldiçoada? Desse dia em diante eu treinei minha mão canhota para ser tão boa quanto a destra e com muito esforço me tornei ambidestro Elessar.

= Em uma batalha um ambidestro sempre possui uma vantagem sobre o oponente meu amigo Cigano! Te felicito!

Magno agradeceu orgulhoso e eu perguntei:

-Vamos para nossa morada queridos tivemos o dia cheio.

Elessar respondeu pensativo:

= Não Sigel! Vamos ate Vangah!

- Agora? Já anoiteceu.

= Sim agora! Precisamos saber de Sion o que está acontecendo com Sunahara?

Magno olhou espantado para Elessar e perguntou

- O que aconteceu com o meu tigre?

Elessar pelo visto não queria falar disso ainda. Sunahara poderia voltar a qualquer momento e não sabíamos como... Então respondeu com uma frase:

= Oh! Meus queridos! Primeiro teremos que ir a nossa morada e nos vestirmos apresentável ao mago.

Magno olhou-se todo apertadinho no meu short e disse

- Por santa Clara não posso chegar assim diante de Sion. Estou ridículo.

Elessar respondeu com toda sinceridade do seu coração, pois é um Elfo.

= Não estás ridículo Cigano! Estás belo como um Elfo.

Magno fez que ia dar um soco nele dando saltinhos para chegar a altura do Elfo e dizendo:

- Ah... Que isso? Que belo o que!!!.

E todos nós rimos enquanto Elessar nos pegou pelas mãos e nos levou até o Acampamento, deixou Magno me abraçou e me levou até minha morada, beijou minha testa e desapareceu como vento.

Eu comecei a me vestir bem rápido não queríamos viajar com o Tigre. Queríamos ir com Magno! Pelo menos até chegar a Sion....
.......

----------------------------------------------------------------------------
LEIA ANTES DE USAR: A partir das Constituições de 1891, 1934, 1946, 1967 e da Emenda Constitucional de 1969, o direito autoral do conteúdo desse Blog é exclusivamente de Katia Kristina Piereth A Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/98) protege as relações entre o criador e quem utiliza suas criações literárias.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Encanto e Decepção do Cigano Magno

Uma nova Besta?

Quem é Adriem?